Dízimos ou Coleta?

Dízimos ou Coleta?

 

 Vejamos o que diz o Antigo Testamento

 

E bendito seja o Deus Altíssimo,
que entregou seus inimigos
em suas mãos".
E Abrão lhe deu o dízimo de tudo.

Gêneis 14:20 

"Todos os dízimos da terra - seja dos cereais, seja das frutas - pertencem ao Senhor; são consagrados ao Senhor. Se um homem desejar resgatar parte do seu dízi­mo, terá que acrescentar um quinto ao seu va­lor. O dízimo dos seus rebanhos, um de cada dez animais que passem debaixo da vara do pastor, será consagrado ao Senhor." 

Levíticos 27: 30-32

 

"Dou aos levitas todos os dízimos em Israel como retribuição pelo trabalho que fazem ao servirem na Tenda do Encontro."

Números 18:21

 

"Separem o dízimo de tudo o que a terra produzir anualmente."

Deuteronômio 14:22  

 

Podemos ver claramente que o dízimo era uma exigência, assim como todos os ítens da Lei de Moises. Com o advento da Morte e Ressurreição de Cristo, o tempo da GRAÇA estabeleceu uma nova ordem para todo o rito ou liturgia religiosa. Deixou-se de praticar o Judaízmo e pelo Espírito Santo foi-nos administrado o CRISTIANISMO

Os dízmos existiam pelo fato de haver uma tribo Sacerdotal, os LEVITAS, que trabalhavam tempo integral nos cultos e rituais de sacrifício saqnguineo. Essa tribo nem mesmo tinha possessão de terra, portanto eram sustentado pela comunidade de Israel. Ora, Cristo é hoje e sempre nosso Sumo Sacerdote e não necessita de suprimentos materiais para manter a obra vicária realizada de uma vez por todas no madeiro da CRUZ

 

Deixando de haver LEVITAS, necessariamente deixou de haver a obrigatoriedade do dízimo.

 

Vejamos alguns exemplo no novo testamento.

 

"Cada um dê conforme determinou em seu coração, não com pesar ou por obrigação, pois Deus ama quem dá com alegria." 

II Aos Coríntios 9:7

 

 

 

A Lei requer dos sacerdotes entre os descendentes de Levi que recebam o dízimo do povo, isto é, dos seus irmãos, embora estes sejam descendentes de Abraão. 

Hebreus 7:5

 

No primeiro caso, quem recebe o dízimo são homens mortais; no outro caso, é aquele de quem se declara que vive. 

Hebreus 7:8

 

Para não nos estendermos mais leiam a síntese abaixo:

A coleta em favor da Igreja de Jerusalém mostra a unidade da Igreja, algo defendido e demonstrado por São Paulo desde o primeiro capítulo da Carta (16,1). Numa comunidade na qual um dos principais problemas é a divisão interna, nada melhor do que uma ação em favor de “toda” a Igreja. E o apóstolo pede que isso aconteça, especialmente, aos domingos, dia do Senhor, dia da comunidade (16,2). Inclusive, é a própria comunidade, através de alguns de seus membros, que deve ir a Jerusalém levar a oferta (16,3-4).

São Paulo explica o roteiro de sua viagem que o levará a Corinto (16,5-7). Fala de sua parada em Éfeso, lugar onde se abriu grande porta; essa porta trata-se de uma abertura à evangelização. Sobre sua estadia em Éfeso ver At 19,1-10.

Paulo também fala da futura visita de Timóteo à comunidade. Pede para que ele não seja desprezado. E que ele não sinta “na pele” os problemas que as divisões internas causavam. Ao mesmo tempo, conta que pediu a Apolo para que voltasse à Corinto, mas ele recusou decididamente. Tamanha recusa de Apolo, talvez tenha acontecido, justamente, por não querer favorecer a divisão na comunidade, pois sabia que haviam os que causavam esse mal usando o seu nome.

Paulo faz uma recomendação: que estejam do lado da família de Estéfanas. Ao que parece eram hostilizados (16,15-16). Talvez por isso e inclusive, o próprio Estéfanas, juntamente com Fortunato e Acaico foram se encontrar com Paulo, levar as notícias e questionamentos da Igreja de Corinto e voltar com sua carta para a comunidade (16,17-18).

Para encerrar a carta, Paulo reforça a unidade da Igreja e diz que todas as comunidades da Ásia saúdam Corinto, bem como Priscila e Áquila (16,19) e todos os irmãos (19,20). Além disso, faz questão de autenticar a carta ao assiná-la de próprio punho, uma vez que as cartas eram ditadas a um copista (16,21). Finaliza com uma referência a parusia apocalíptica: Vem, Senhor! e que tudo, como dito no início da carta, possa convergir para Cristo Jesus (16,22-24).

Outrossim, Daí a máxima: “dar de graça o que de graça recebemos”.Por esta máxima se dá a ética, não cobrar um único centavo pelo trabalho espiritual realizado nos Templos, que são a Casa de Deus, em que se reconhece o poder de realização muito além de nosso querer, ego ou vaidade. Gratuitamente está ali a graça divina e o poder de ação do Espírito Santo."

 

 

‘’Se outros participam deste poder sobre vós, por que não, mais justamente, nós? Mas nós não usamos deste direito; antes suportamos tudo, para não pormos impedimento algum ao evangelho de Cristo’’.

 

Que lição linda da parte de um verdadeiro apóstolo de DEUS, quanto mais eu leio, mais me delicio no evangelho....

 

PAULO, dar uma lição para os obreiros de hoje usando um simples e pequeno verso, no texto é como se Paulo estivesse dizendo assim, irmão existe a ordem. e se vocês usarem tal ordem não estão errados; porem se for impedimento, ou peso tal ordem para os que estão  recebendo o evangelho, esqueça o direito e faça de tudo e suportem tudo, fazendo assim vocês estão vivendo o evangelho,, glorias a DEUS.

 

IRMÃOS, mas lembre-se  que o evangelho ainda estava sendo formado ou pregado naquela época verbalmente, não existia o novo testamento que hoje temos, quem ler entenda.

 

 Hoje temos a bíblia que ante eles não tinham, por isso a necessidade de pessoas viajando para pregar verbalmente, mas quando Paulo ou outro apostolo ou ancião pregava aos crentes de um localidade o evangelho, era estabelecido em cada igreja, anciões ou presbíteros como desejar chamá-los, e  esses homens maduros cuidavam da igreja recém nascida e eles deveriam ser exemplos para o rebanho, tais homens recebiam a função de pastores , amem.

 

Mas em nenhum lugar das escrituras vemos esses anciões locais recebendo salário, mas se fosse possível ou necessário ajudar tais homens, pois a obra de DEUS é isso ajudar quem precisa de ajuda, o façam com amor sincero.

 

Vou voltar a Paulo, Paulo tinha direito por ser apostolo de cristo receber ajuda, e até recebeu, mas quando podia trabalhava dia e noite para não ser pesado a ninguém, Paulo achava um peso não trabalhar e viver das custas dos outros, e ele ainda disse mais, quem não quer trabalha não coma, você acha que esta repreensão era para ovelha? Não.

 

"Porque vós mesmos sabeis como convém imitar-nos, pois que não nos houvemos desordenadamente entre vós,

 

Nem de graça comemos o pão de homem algum, mas com trabalho e fadigatrabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós.

 

Não porque não tivéssemos autoridade, mas para vos dar em nós mesmos exemplo, para nos imitardes.

 

Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto, que, se alguém não quiser trabalharnão coma, também.

 

Porquanto ouvimos que alguns, entre vós, andam desordenadamente, não trabalhando, antes fazendo coisas vãs.

 

A esses tais, porém, mandamos e exortamos, por nosso Senhor Jesus Cristo, que, trabalhando com sossegocomam o seu próprio pão.’’

 

 

Considerações; nesta passagem acima; PAULO afirma que os irmãos sabiam como devia andar segundo as pisadas de Paulo, pois ele era imitador de cristo,entendi, e o apostolo afirma que não anda desordenadamente, nem de graça comem o pão de ninguém , notou o plural comemos? Não se referindo somente a ele, mas sim também quem andava com ele, que importância tem isto? Toda importância, isto  serve para confirmar que ele não estava fazendo um ensino somente para ele próprio, mas para todos que andavam com ele...ou nas suas pisadas. Gloria a DEUS, e logo depois ele repete novamente trazendo a memória aos irmãos sua autoridade,, Não porque não tivéssemos autoridade, pois ele, Paulo tinha autoridade para ser pesado,ou não. E deser obedecido também.

 

Paulo  é avisado que tem alguns que não andam segundo o que ele  prega e ensina, e usa a expressão ‘andar desordenadamente’ que é o contrario de como Paulo andava,  Paulo mesmo diz, logo depois, de graça não comemos pão ,ou seja ninguém nos dar de comer ou nos sustenta.

 

Outra passagem onde Paulo fala do erro de viver desordenado.

 

‘’Porque há muitos desordenadosfaladores vãos e enganadores, principalmente os da circuncisão, Aos quais convém tapar a boca, homens que transtornam casas inteiras, ensinando o que não convém, por torpe ganância.

 

 

Um deles, seu próprio profeta, disse: Os cretenses são sempre mentirosos, bestas ruins, ventres preguiçosos.

 

Este testemunho é verdadeiro. Portanto, repreende-os severamente, para que sejam sãos na fé.

 

Não dando ouvidos às fábulas judaicas, nem aos mandamentos de homens que se desviam da verdade.

 

Todas as coisas são puras para os puros, mas nada é puro para os contaminados e infiéis, antes o seu entendimento e consciência estão contaminados.’’

 

 

Considerações;  irmãos espero que seja do conhecimento de todos, que no início  da igreja, ela era formada de apenas judeus, e que sem permissão dos apóstolos saíram a outros lugares e quiseram no começo colocar regras da lei sobre os gentios, Mas DEUS bendito pelo seus apóstolos não permitiu, então assim como aconteceu também aconteceu na igreja dos cretenses, existiam homens judeus que viviam desordenadamente como hoje também tem. Então Paulo na época, soube que, um profeta  afirmou que eles eram homens mentirosos e preguiçosos, Paulo exortou a tal igreja  com estas palavras; repreende-os severamente, para que sejam sãos na fé.

 

 

Depois exortou aos cretenses que não dessem ouvidos aos mandamentos de homens, ou fabulas judaicas, ficando evidente que se tratava de judaizantes.

 

 

Aonde quero chegar com todas estas explicações?  O evangelho da salvação, é basicamente que Jesus morreu por todos, isto é fácil de crer pelo dom, o difícil é saber sobre o evangelho do reino que não é o mesmo.

 

 Mas não são a mesma coisa? Não... O evangelho do reino é tudo que um filho do reino ou filho de DEUS tem que fazer, tipo; no evangelho do reino o viver é cristo, e o morrer é ganho, no evangelho do reino vivemos pelo Espírito da graça e não da lei, no evangelho do reino não existe dízimos, pois dízimos é um dos mandamentos da lei de Moises, que representa coisas futuras.

 

No evangelho nossa contribuição financeira tem que ser segundo falou Paulo segundo propôs no coração, ou seja, é voluntario. Não existe % definida. Como na graça não existe templo físico ou sacerdotes do antigo pacto, fica proibido usar os métodos antigos, pois se usarmos a lei do antigo pacto desviamo-nos da graça, pois neste caso estaríamos querendo ser justificados pela lei, Cristo de nada adiantaria.

 

 

Saulo  de Tarso: Paulo tentou de varias maneiras convencer os judeus da época a crer que Jesus era o messias, e muitos resistiram suas pregações, mas muitos creram, até hoje muitos resistem, porém a pregação Dele para com os gentios era um sucesso, mais ao passar do tempo muitos judeus convertidos tentavam colocar sobre os gentios jugos da lei, e Paulo resistia e enfrentava a todos, como bom soldado de cristo.

 

Como vocês me vêem falo muito de Paulo, e pouco falei dos outros apóstolos de cristo? , risos,,,é que entendo que Paulo era o apostolo dos gentios   , mas não sou eu que falo isso. É a bíblia, Paulo um fariseu zeloso da lei, e perseguidor da igreja antes; ele foi escolhido pelo próprio DEUS, para ser o apostolo e doutor dos gentios, e  para ensinar tudo que eles deveriam fazer, ou por obras ou palavras.

 

O apostolo Paulo certa vez afirmou que nada que útil seja deixou de dizer para fazer obedientes os gentios. E nestes ensinos escritos,, não vemos sábados, dízimos, ou templo físico, ou pastor único, ou presidentes de convenções, etc..ou qualquer aberração inventada pelos homens como vemos hoje nas denominações.

 

 

Não vemos estes mandamentos, sendo ensinados por Paulo nem por qualquer apóstolo de Cristo,  Paulo antes tinha afirmado que era tão zeloso da lei ao ponto de fazer, ou obrigar as pessoas a blasfemarem; então como um homem tão zeloso, que quando se referia a contribuir para os santos dizia assim,, cada um contribua segundo propôs no coração? Como um homem escolhido por Deus, SE esqueceu de falar pra os gentios que não conhecia nem a Deus quanto mais seus mandamento?, que ele deveriam dizimar? Ou guardar sábados, ou construir templos, ou outras coisas que não está escrito, mas as denominações inventam tudo isso... E dizem não existe proibição por isso fazemos isso ou aquilo. Deixo vocês responderem se é certo agir assim, pôr sobre os discípulos de cristo um julgo que nenhum apóstolo ensinou.

 

Por que Paulo tinha  tanto cuidado quando falava sobre dinheiro. Ao ponto de dizer que o que ele dizia não era para oprimir, e sim para suprir a necessidade dos santos irmãos para haver igualdade entre eles, as expressões usadas por Paulo eram sempre;

 

*Coleta

 

*Contribuição

 

*Benção

 

*administração a favor dos santos

 

*serviço, nunca ele usou a palavra dízimos, pois o apóstolo sabia bem que este mandamento de dízimos seria um fardo e impossível de ser praticado em sua totalidade visto que o mandamento era pela lei para ser pago a Levi, que era quem tinha direito de receber.  Na lei. E que tal lei foi por cristo abolido por causa de sua fraqueza e inutilidade.

 

Gloria a DEUS

 

 

"De ninguém cobicei a prata, nem o ouro, nem o vestido."

 

Vós mesmos sabeis que, para o que me era necessário a mim, e aos que estão comigo, estas mãos me serviram.

 

Tenho-vos mostrado em tudo quetrabalhando assimé necessário auxiliar os enfermos, e recordar as palavras do Senhor Jesus, que disse: Mais bem-aventurada coisa é dar do que receber. ’’

 

 

SENDO ASSIM finalizo minhas explicações, não afirmando que seja errado vocês quererem ajudar um ministério, ou irmão ou qualquer pessoa principalmente cristão que esteja em aperto ou sufocado com um fardo de levar a palavra que liberta.

 

Não direi a vocês algo que não existe na bíblia, nem vou além do que está escrito, nas epistolas ou em atos dos apóstolos. O que a bíblia não manda eu não farei, mais o que manda eu usarei, porém com a devida revelação, amém.

 

 SE PREFERIR PERGUNTE CLICANDO AQUI